Politics

Linguagem corporal no trabalho e além

Este post pode conter links de afiliados e a Corporette® pode ganhar comissões por compras feitas através dos links deste post. Como associado da Amazon, ganho com compras qualificadas.

Aqui está uma pergunta estranha hoje: quão sensível você é à linguagem corporal, no trabalho e fora dele? Por exemplo, você acha que pode identificar um agressor do outro lado da sala pela forma como ele se senta ou se ele faz certas poses? Você acha que adotar determinada linguagem corporal ajuda a facilitar a comunicação de maneiras tácitas? Você evita determinada linguagem corporal (mãos no quadril, braços cruzados) porque sente que tem conotações negativas?

Já conversamos sobre como conseguir um cara de pôquer no trabalhobem como discutimos o mito (agora desmascarado, acredito) de a pose de poder como forma de superar a síndrome do impostor… mas acho que não conversamos sobre isso.

Aqui está a base para minha pergunta: muitas, muitas luas atrás, eu estava entrevistando um sujeito que apoiou as duas mãos na cabeça, recostou-se e começou a ser um completo idiota comigo. Hilariantemente (para mim, pelo menos na época), ele tinha um assistente sentado na entrevista, e quando The Jerk adotou essa pose, o mesmo fez o assistente (que também era homem).

(Na minha memória, suas mãos estavam cruzadas no topo da cabeça, não atrás da cabeça, mas a foto está perto o suficiente…)

O assistente estava consciente dessa pose espelhada? Ele estava fazendo isso intencionalmente para tentar dizer: “Sou um de vocês” ou talvez “Sou mais parecido com você do que ela”. A pose inicial foi uma brincadeira de domínio ou algo assim, no sentido de que ele estava ocupando espaço? Será que ele decidiu em algum momento de sua juventude que essa era uma pose “pensativa” e a usou nos momentos em que tinha opiniões para compartilhar?

Do meu lado, eu meio que me perguntei o que aconteceria se eu também adotasse a pose enquanto estava sentado na entrevista. Todos nós começaríamos a rir disso? Eles pensariam que eu estava zombando deles? Ou eles nem perceberiam que eu tinha feito isso e lentamente começariam a pensar “ei, gostei mais dela do que pensava”.

Nos muitos anos desde esta entrevista (que não acertei), muitas vezes pensei nesta pose e naquela entrevista.

Admito que o adotei em algumas situações raras, principalmente em situações como aquela em que experimentei The Pose pela primeira vez – sou forçado a sentar-me com alguém em uma entrevista ou situação de trabalho, e não gosto do pessoa ou o que eles estão dizendo, então coloco casualmente as mãos na cabeça e me inclino para trás.

Na minha cabeça, estou dizendo todas as coisas que senti que aquele entrevistador estava me dizendo há muito tempo – não é fofo que você tenha opiniões? podemos acabar com isso ainda? uau, você ainda está falando – mas talvez aquela entrevista de muito tempo atrás tenha me irritado para sempre em The Pose, e pessoas perfeitamente normais e atenciosas adotam The Pose o tempo todo.

Então – pergunta estranha, sim – mas que linguagem corporal comunica algo para você? Pessoas que ficam perto demais para falar com você, pessoas que abrem as pernas quando se sentam para ocupar mais espaço, pessoas que colocam as mãos na cabeça e se recostam? Você às vezes adota a linguagem corporal de certas pessoas de maneira intencional?

Por outro lado, você evita alguma linguagem corporal porque na sua mente está comunicando algo ruim? Por exemplo, colocar as mãos nos quadris, cruzar os braços – tenho vontade até de arrumar o rosto de uma certa maneira para evitar RBF meio que se encaixa nessa descrição.

Foto de estoque via Depósito Fotos / Wavebreakmedia.



Source

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button