Health

Mulher israelense, sequestrada pelo Hamas em festival, libertada após 245 dias

As IDF realizaram a ousada operação de resgate no sábado em Nuseirat, no centro de Gaza.

Nova Delhi:

A cidadã israelense Noa Argamani, de 26 anos, que foi mantida em cativeiro pelo grupo palestino Hamas durante 245 dias, foi resgatada pelas Forças de Defesa de Israel (IDF) e reunida com sua família. Argamani, que foi sequestrada no festival de música Nova em 7 de outubro do ano passado, passou por oito meses angustiantes em cativeiro antes de ser resgatada no sábado.

Depois de o Hamas ter lançado um sensacional ataque terrestre-marítimo-aéreo contra Israel, o festival de música Nova, que atraiu uma grande multidão de jovens foliões, rapidamente se transformou num cenário de caos e terror. Em meio à violência, a Sra. Argamani e seu namorado, Avinatan Or, foram feitos reféns. Imagens virais do incidente mostraram a Sra. Argamani sendo levada à força para Gaza na garupa de uma motocicleta, gritando de desespero. O vídeo se tornou viral na internet, chamando a atenção global para os ataques.

Durante 245 dias, a Sra. Argamani foi mantida em cativeiro em Gaza. Durante o cativeiro, a condição de sua mãe, Liora, que sofre de câncer cerebral terminal, piorou.

As IDF realizaram a ousada operação de resgate no sábado em Nuseirat, no centro de Gaza. Esta operação não só trouxe a Sra. Argamani de volta, mas também libertou outros três reféns – Andrey Kozlov, Almog Meir Jan e Shlomi Ziv.

Após o resgate, a Sra. Argamani foi transportada para um hospital em Tel Aviv, onde pôde se reunir com sua mãe. O emocionante reencontro aconteceu no Centro Médico Sourasky de Tel Aviv, onde Liora está recebendo tratamento.

Notícias mais recentes e de última hora na NDTV

Crédito da foto: Reuters

O pai de Argamani, Yaakov, que viu sua filha pela primeira vez depois que ela voltou para Israel em um helicóptero militar, descreveu o reencontro como o maior presente de aniversário que ele poderia receber.

Milhares de israelenses se reuniram no que ficou conhecido como “Praça dos Reféns”, no centro de Tel Aviv, para comemorar o resgate e exigir a libertação dos demais reféns. A praça tornou-se um ponto focal de manifestações e solidariedade desde os ataques de 7 de Outubro.

Entre as 251 pessoas capturadas pelo Hamas, sete cativos foram libertados com vida pelas forças israelitas. Actualmente, ainda existem 116 reféns em Gaza, incluindo 41 que o exército acredita estarem mortos.

Tanto o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, como o presidente Isaac Herzog felicitaram pessoalmente a Sra. Argamani pelo seu regresso seguro. Em um telefonema emocionante. O primeiro-ministro Netanyahu tranquilizou-a, afirmando: “Nunca desistimos de você nem por um momento. Não sei se você acreditou nisso, mas nós acreditamos e estou feliz que tenha se tornado realidade.”

O conflito, o mais mortífero da história de Gaza, começou com um ataque mortífero do Hamas ao sul de Israel, em 7 de Outubro, resultando em 1.189 mortes israelitas e 252 reféns. A resposta de Israel tem sido implacável, com o Ministério da Saúde de Gaza a reportar mais de 36.801 mortes, a maioria civis.



Source

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button